EXTENSÃO DO OMBRO COM FLEXÃO DOS COTOVELOS NA MÁQUINA

REMADA

Mariane Malucelli   07/02/2018

O exercício é EXTENSÃO DO OMBRO COM FLEXÃO DOS COTOVELOS NA MÁQUINA, também chamado de REMADA.

A remada é um exercício amplamente utilizado em academias e também na reabilitação, principalmente visando a musculatura do complexo do ombro.

Mas você sabia que o cenário mecânico muda completamente de uma máquina de remada para outra? E que a posição das mãos também altera o exercício?

Qual o braço do momento da RESISTÊNCIA para o OMBRO e para o COTOVELO nesse exercício? 

  • Na posição inicial, temos um pequeno braço do momento para o cotovelo, que estimula os seus extensores, e um braço do momento um pouco maior para o ombro.

  • Na posição intermediária, o braço do momento para o ombro praticamente se mantém igual e o cotovelo passa a ter um braço do momento que estimula os flexores do cotovelo.

  • Na posição final, o braço do momento para o ombro e para o cotovelo não sofrem grandes alterações.

Dessa forma, temos os seguintes PERFIS DE RESISTÊNCIA para ombro e cotovelo.

OMBRO

Braço do momento aparentemente constante para o ombro, o que PODE significar um perfil da resistência linear, ou seja, onde a resistência é a mesma em todo o exercício. ENTRETANTO, como resistência do exercício é gerada pelo torque, e o torque depende tanto do braço do momento quanto da magnitude da resistência, se tivermos uma magnitude que se altera, o torque irá se alterar também! O QUE IRÁ ALTERAR O PERFIL DA RESISTÊNCIA!

E como essa magnitude pode ser alterada?

Existem máquinas que alteram a magnitude da resistência em sua engenharia durante a amplitude do movimento. 

COTOVELO

SE a magnitude da resistência fosse constante, teríamos um perfil da resistência para o cotovelo inicialmente estimulando os extensores e depois estimulando os flexores do cotovelo com resistência constante. MAS como dissemos antes, a própria máquina pode alterar a magnitude da resistência durante o exercício e, assim, ALTERAR o perfil da resistência.

Mudar a posição das mãos ou mudar o equipamento com o qual você trabalha (mesmo sendo outra máquina) pode ALTERAR COMPLETAMENTE os braços do momento do exercício, alterando também o ESTÍMULO.

ATENÇÃO! A análise dos braços do momento de exercícios em MÁQUINAS é apenas uma parte da análise da RESISTÊNCIA. As máquinas em si podem alterar a resistência em sua engenharia e isso modifica completamente a experiência do exercício.

Você consegue enxergar as diferenças entre os dois exercícios?

A PRINCIPAL diferença está entre as máquinas. Mudar a máquina na qual se está fazendo o exercício muda COMPLETAMENTE o cenário mecânico do mesmo.

Nesse exemplo, uma máquina tem seu eixo superior e a outra inferior. Isso altera a trajetória da máquina, o que altera a direção da linha da força e pode mudar também a resistência.

Além disso, trajetórias que não são compatíveis com a realizada pelo corpo do cliente/paciente podem gerar forças fora do plano de movimento. Isso, a longo prazo, pode causar disfunções nas articulações. Máquinas que possuem seu eixo localizado inferiormente geralmente apresentam essa incompatibilidade de trajetórias.

ATENÇÃO! Uma observação importante a ser feita em ambas as máquinas é que, para que o exercício ficasse mais apropriado para o sujeito, mudanças na altura do banco ou no apoio do peito deveriam ser feitas, por conta da trajetória da máquina.

Em ambas as máquinas, PARA ESSE SUJEITO, a regulagem foi INSUFICIENTE para que o exercício pudesse ser executado de forma adequada, ou seja, ou o banco não subia/descia mais ou o apoio na região do peitoral não tinha regulagem.

Indivíduos diferentes se "encaixam" de forma diferente nas máquinas. NÃO ACREDITE QUE TODAS AS MÁQUINAS SÃO BOAS E TAMBÉM NÃO DISCRIMINE UMA MÁQUINA PORQUE ELA NÃO É BOA PARA UM CLIENTE/PACIENTE ESPECÍFICO. Todas as decisões a serem tomadas no exercício devem ser baseadas no indivíduo.

E vale ainda ressaltar: não existe exercício certo ou errado. Existe sim o exercício mais ADEQUADO para o seu CLIENTE/PACIENTE. A escolha da máquina que você irá utilizar ou a opção por não utilizar uma máquina podem ser escolhas determinantes para um exercício seguro e apropriado.

É você, profissional do exercício, que toma as decisões relativas a construção do exercício. Por isso o conhecimento da mecânica do exercício é tão essencial.

Junte-se à rede mundial RTS
Cadastre-se e recebe conteúdos como este com prioridade


Mariane Malucelli

Fisioterapeuta licenciada no Brasil e nos USA, especialista em Mecânica do Exercício, residente em traumato ortopedia na OrthoCarolina (USA). Palestrante da Cybex no Brasil entre 2003 e 2006. Diretora dos programas do RTS no Brasil desde 2003. Professora de Pós Graduação em Mecânica do Exercício, na PUC-PR e Universidade Positivo. E por último, porém o mais importante: mãe da Chloe e do Benjamin, esposa do Marcos e apaixonada pela vida!

QUEREMOS SABER O QUE VOCÊ PENSA

O que você achou deste conteúdo? Conte-nos nos comentários abaixo.

Junte-se à rede mundial RTS


Cadastre-se e receba conteúdos como este com prioridade

SOBRE
VEM COM A GENTE
ÚLTIMAS POSTAGENS