MÚSCULOS ABDUTORES DO OMBRO

Mariane Malucelli   13/12/2017

Neste texto, você vai compreender melhor o que é o PERFIL DO ESFORÇO.

Anatomicamente, os abdutores do ombro estão em uma posição mais "longa" na primeira imagem (1), um pouco mais contraídos na segunda imagem (2) e bem mais próximos da porção curta na posição final do exercício (3).

 

 

IMAGEM 1

Pensando na curva de comprimento-tensão e nas relações de braço do momento do próprio músculo para a articulação que ele cruza, na primeira imagem os abdutores do ombro estão com sua força relativamente reduzida.

IMAGEM 2

A força dos abdutores do ombro aumentam, chegando na sua capacidade máxima de geração de força NESSA AMPLITUDE DE MOVIMENTO específica do exercício.

IMAGEM 3

A força se reduz muito, pois é o ponto DO EXERCÍCIO de maior aproximação das inserções musculares (diminuição da habilidade contrátil).

Essa mudança de capacidade de gerar força pelo músculo durante o exercício é o que chamamos de PERFIL DO ESFORÇO.

O Perfil da Resistência está de acordo com o perfil da potência dos músculos abdutores do ombro?

O braço do momento DA RESISTÊNCIA saiu de zero e foi aumentando até chegar ao seu maior valor na posição final do exercício. Se:

  • no início do exercício, onde o músculo é um pouco mais fraco, a resistência é ZERO.

  • no meio do exercício, onde o músculo é mais forte, a resistência é INTERMEDIÁRIA.

  • no final do exercício, onde o músculo é mais fraco, a resistência é a MAIOR do exercício.

Podemos concluir que o PERFIL DA RESISTÊNCIA NÃO está adequado ao PERFIL DA POTÊNCIA no exercício analisado.

Todos esses fatores devem ser levados em consideração na prescrição de exercícios, pois você pode estar deixando de estimular algumas porções musculares importantes.

Junte-se à rede mundial RTS
Cadastre-se e recebe conteúdos como este com prioridade


Mariane Malucelli

Fisioterapeuta licenciada no Brasil e nos USA, especialista em Mecânica do Exercício, residente em traumato ortopedia na OrthoCarolina (USA). Palestrante da Cybex no Brasil entre 2003 e 2006. Diretora dos programas do RTS no Brasil desde 2003. Professora de Pós Graduação em Mecânica do Exercício, na PUC-PR e Universidade Positivo. E por último, porém o mais importante: mãe da Chloe e do Benjamin, esposa do Marcos e apaixonada pela vida!

QUEREMOS SABER O QUE VOCÊ PENSA

O que você achou deste conteúdo? Conte-nos nos comentários abaixo.

Junte-se à rede mundial RTS


Cadastre-se e receba conteúdos como este com prioridade

SOBRE
VEM COM A GENTE
ÚLTIMAS POSTAGENS